Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó




"Minha Poesia não usa vestes para se camuflar, é livre e nua" (Arnoldo Pimentel)

"Censurar ninguém se atreverá, meu canto já nasceu livre" (Sérgio Salles-Oigers)

"Gambiarra Profana, poesia sem propriedade privada, livre como a vida, leve como pedra em passeata" (Fabiano Soares da Silva)

"Se eu matar todos os meus demônios, os anjos podem morrer também" (Tenneessee Williams)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

VENTO NA SOLIDÃO



                                        VENTO NA SOLIDÃO

Tenho me acostumado com a solidão
Não tenho sentido falta nem mesmo
Do balanço das cortinas sendo tocadas
Pelo olhar da lua no silêncio do quarto

Sei que todas as horas são passageiras
E o encanto das estrelas ainda voltará
A colorir as páginas do caderno
Onde desenho meus pequenos momentos

Um dia desses a vela soprará o veleiro
Para o outono que se forma
Do outro lado das dunas

Porque até o vento cansa de soprar no deserto
Por não ter flores para enfeitar
As noites que fico a esperar

25 comentários:

  1. Que lindo!!
    Adoro seus poemas...me tocam fundo!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo!
    Parabéns!
    Porque até o vento cansa de soprar no deserto
    Por não ter flores para enfeitar
    As noites que fico a esperar..

    Bjs e ótima semana pra ti.
    Com carinho,
    Mara

    ResponderExcluir
  3. Nossaaaaa! que belo poema...
    Parabéns, amo visitar suas escritas,cada vez mais me suepreende tanta ternura que encontro em seus poemas...
    Tenhas uma semana regada de muito amor...
    Preciosa Maria

    ResponderExcluir
  4. A colorir as páginas do caderno, onde desenho meus pequenos momentos...Lindo, simplesmente perfeito. Parabéns!

    Um beijo, querido Arnoldo, e uma linda semana pra ti

    M!sunderstood

    ResponderExcluir
  5. Seu trabalho me encanta, ele nos envolve e
    toca profundamente a alma.
    Parabéns, possui uma sensibilidade incrível.
    És um grande escritor!

    Beijos.

    Marion

    ResponderExcluir
  6. Que belo, quanta sensibilidade. Boa noite e beijos no coração.

    ResponderExcluir
  7. Oi,
    Gsotei também de cada verso, solidão é uma palavra tão forte, temos que aprender a conviver com ela, só aquele que sabe conviver com a solidão se conhece realmente.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Bonito poema meu amigo. Um beijo no seu coração!
    *Simone*

    ResponderExcluir
  9. Querido Arnoldo, quanta saudade eu tava daqui. Perdoa minha demora e obrigada pela presença constante e sempre forte lá no Molhe-se.


    Post lindo como sempre. Tenha uma bela semana.

    Beejo,beejo. =)

    ResponderExcluir
  10. Quando o vento da solidão soprar, se aconchegue nos braços da poesia.
    Ele será brisa acompanhada.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  11. Belíssimo poema Arnoldo, passar por aqui é ter a certeza de encontrar palavras sensíveis e muito bem colocadas.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Belo e maravilhoso poema,perfeitooooooo poeta!!!! Parabéns

    ResponderExcluir
  13. Meu querido amigo

    Um poema...um lamento em belas palavras, sim, poe vezes estamos bem na solidão...por vezes ficamos mais livres, por vezes apenas na noite o somos.
    Adorei ler-te.

    Beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  14. Muito obrigada pelos elogios do meu blog. E aliás, tudo que você escreve é muito bonito. Parabéns pelo talento. =]

    ResponderExcluir
  15. Demasiado triste, no entanto muito bonito.
    Até...

    ResponderExcluir
  16. Olá, Arnold
    Que belíssimo poema!!! Tenho lido seus poemas e percebo uma certa transformaçao, não sei explicar o que é, acho que a sensibilidade está cada vez mais aflorada nos seus versos. Parabéns, amigo,está cada vez mais lindo seus poemas.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Arnoldo,


    A beleza , sensibilidade e amor
    são uma constante em seus versos.
    Sempre me toca imensamente te ler.


    Bjo e uma Noite Serena.

    ResponderExcluir
  18. tenho um gosto especial pelos poemas que mostram a nossa solidão..
    ela nos devolve a pessoa amada..

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  19. POETA QUANTA MELANCOLIA NESTE CORAÇÃO,,
    MAS MESMO ASSIM SEU POEMA ESTA MAIS LINDO QUE NUNCA,CADA VEZ QUE PASSO PORESTEALTAR DAPOESIA
    SINTO INUNDAR MEU CORAÇÃO,TUAS PALAVRAS TAL QUAL AS PRECES,COMO PASSAROS QUE VOAM NO ABRIR DAS NOSSAS MÃOS,,MUITA LUZ MEU QUERIDO,
    MUITA PAZ BJS MARLENE

    ResponderExcluir
  20. Olá irmão poeta!

    Gostei imensamente do teu blog e pelo conjunto de tuas maravilhosas obras.
    Congratulações pela inspiração!

    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  21. Tristeza e esperança se confundem em suas palavras
    Sim as estrelas sempre voltarão a brilhar!
    Como sempre texto perfeito
    um forte abraço!

    ResponderExcluir
  22. Espere em confiança, amigo, aceitando com gratidão o que a vida traz hoje e verá que a alegria voltará e acabará a solidão (mas não para sempre). Sua poesia é muito bela!

    E vamos confiar na vida! ;)

    ResponderExcluir
  23. Olá meu poeta preferido!
    Passando para encher minha alma dessa página que exala perfume,poesia e amor.
    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Um dia desses a vela soprará o veleiro
    Para o outono que se forma...
    Lindo poema! Que o outono tenha brandos ventos soprando felicidades! Beijos!

    ResponderExcluir