Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó




"Minha Poesia não usa vestes para se camuflar, é livre e nua" (Arnoldo Pimentel)

"Censurar ninguém se atreverá, meu canto já nasceu livre" (Sérgio Salles-Oigers)

"Gambiarra Profana, poesia sem propriedade privada, livre como a vida, leve como pedra em passeata" (Fabiano Soares da Silva)

"Se eu matar todos os meus demônios, os anjos podem morrer também" (Tenneessee Williams)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Menina do rio (Arnoldo Pimentel e Silviah Carvalho)











http://umcoracaoqueama.blogspot.com
 http://caminhosopostos-vida.blogspot.com
 http://poesiaseternas2.blogspot.com
 http://diariobruxa.blogspot.com
OS SELOS SÃO PARA TODOS OS VISITANTES
REGRAS
1- Postar e distribuir os selos indicando o link que o presenteou (ventosnaprimavera.blogspot.com)
2- Visitar os blogs dos selos
3- Ler e comentar o poema, razão do blog existir


Fiquei na margem do rio,
Desanuviando minha mente,
Meditando na constância das águas,
No desapego da alma, neste vazio...

Vi pessoas passarem as margens
E notei cada um faz seu próprio rio
E navegam em suas esperanças
Levando as lendas em suas bagagens

Vi a menina sentada à beira do rio
Sonhando com a felicidade
Esperando o boto... Não sei!
Que a tire da beira e se faça seu rei.

Na espera inútil a tristeza vem à tona
Não há encantamento... Eu chorei!
Vendo a tristeza nos olhos da menina
Do rio amazonas...

Eu a vi partindo só e com frio
Deixando nas margens o fim do seu rio
Eu a vi sofrer por um conto infantil
Eu soube que ela nunca mais sorriu

E eu! Ainda espero só,
Na margem do rio... do meu Rio.

40 comentários:

  1. Belíssima poesia, amei, romantismo e melancolia casaram-se perfeitamente bem no teu poema...

    Bjinhos

    Mila

    PS:Leio e recomendo:
    http://rafabernardino.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Vocês dois sempre casam muito bem a quatro mãos.
    Esse poema é lindissimo e nem sequer se nota que foi escrito por duas pessoas, tão bem que saiu.
    Cantaram em uníssono.
    Parabéns Silviah
    Parabéns Arnoldo

    ResponderExcluir
  3. desculpe esqueci de falar nos selinhos.
    obrigada amigo, logo, logo venho buscar.
    beijos.

    ResponderExcluir
  4. Lindo, lindo poema Arnoldo.

    Qto ao selinho que vc me ofereceu, qual deles é para levar?

    beijooo.

    ResponderExcluir
  5. Linda poesia... vc sempre encantando com palavras parabéns... obrigada pelos selinhos, ja vou publica-los...
    Bjos no coração

    ResponderExcluir
  6. Arnoldo e Silviah Carvalho,

    parabéns pela harmoniosa parceria que resultou neste belíssimo poema.


    Obrigada pelo carinho do selinho, Arnoldo. Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns, meus amigos talentosos poetas!
    Belo poema, que nos leva á reflexão á margem do nosso rio..
    A espera pela chegada do grande amor..
    Muito lindo o trabalho de vocês, adoro!
    Muito obrigada por tudo.
    Amei o presente, os selos são lindos.
    Lindo dia para vocês, Arnoldo e querida Silviah.

    Gratidão.

    Marion

    ResponderExcluir
  8. Olá, Arnold
    Belo poema,
    "Vi a menina sentada à beira do rio
    Sonhando com a felicidade
    Esperando o boto... Não sei!
    Que a tire da beira e se faça seu rei."

    Esses versos complementam o Poema "DEVANEIOS"

    Obrigada pelo selinho. Bjoss!!!

    ResponderExcluir
  9. Querido!
    seu poema me faz sentir uma menina do rio. rs
    É lindo!
    Eu tb posso levar os selos?
    Adorei-os!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Arnoldo,

    Suas poesias são sempre lindas , carregadas
    de sentir ...


    Obrigada por se lembrar sempre de mim.
    Obrigada pelos selinhos e amizade.



    Bjo e um Dia de Sorrisos.

    ResponderExcluir
  11. Oi.. mas é pra responder mesmo? é que vc não citou meu blog.. rsrssssss

    mas adorei seu cantinho, parabéns pela poesia..

    beijo

    ResponderExcluir
  12. Passei por cá, vim conhecer teu espaço, gostei, volto com prazer, beijos.

    ResponderExcluir
  13. oie não achei o meu presente aqui

    beijoss

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde amigo poeta!
    Linda esta poesia que traduz as belezas da natureza e a espera de um amor , doce e leve esta inspiração!
    Obrigada pelas visitas!
    bjs Taís

    ResponderExcluir
  15. Queria eu poder estar na beira de um rio agora, pensando em tudo e livrando-me da insensatez da vida...E tão tranquilo.

    Um ótimo poema e obrigada pelos selos.

    Um abraço, Tamires!

    ResponderExcluir
  16. Obrigada pelo selo!
    Já está em meu blog

    Lindo poema!

    Bjinhos

    Nina

    ResponderExcluir
  17. Mas quem espera sempre alcança...
    Que bela dupla vocês formam!
    Levarei um dos selinhos, mas só posso organizar tudo no blog específico (Porta-jóias) depois do Natal. Ando muito enrolada aqui, amigo.
    Mil beijos e carinhos!!!

    ResponderExcluir
  18. Parabéns aos dois pelo lindo poema, me senti esta menina, acho que ainda sou, Lindo lindo poema,e, poxa fico tão feliz pelo selinho, vou escolher um, obrigada, e obrigada também pela visita, beijos no coração, com carinho Roseli.

    ResponderExcluir
  19. O rio de cada um é seu próprio mundo, seu próprio universo.
    Ninguém vê o mundo imediatamente, mas mediatamente, através das próprias experiências, alegrias e frustações.
    Alguns se perdem no rio que criaram, outros o atravessam e decidem ficar à margem. Afortunados são os que completam o trajeto, percebendo a beleza de seu próprio rio.

    ResponderExcluir
  20. "Eu a vi partindo só e com frio
    Deixando nas margens o fim do seu rio
    Eu a vi sofrer por um conto infantil
    Eu soube que ela nunca mais sorriu"

    Que profundo, obrigada pelos presentes! Levarei! Um beijo.
    Aline Trogillio

    ResponderExcluir
  21. Que bonito poema, me encantou. Parabéns!
    Obrigada pelo selo. Bjos,

    *Simone*

    ResponderExcluir
  22. Olá! Obrigada pelos selinhos!
    Parabéns pelo poema! Muito impressionante a sintonia de vocês, e delicadeza.
    Singelo, sereno. :)

    Abraço! E vamos confiar na vida!

    ResponderExcluir
  23. "Na espera inútil a tristeza vem à tona
    Não há encantamento... Eu chorei!"

    Eu também! =(
    Que lindas palavras...Belíssimo Poema
    Como é escrever a "quatro mãos"?
    Seja la qual for a receita...o resultado é perfeito!
    Obrigada pelos presentes
    um abraço!

    ResponderExcluir
  24. Obrigada amigo,será pstado nos amigos e mimos da coruja . Adorei! Montão de bjs e abraços

    ResponderExcluir
  25. São os riachos emotivos de nossas vidas...lindo poemar! Obrigada pelos selinhos! Beijos

    ResponderExcluir
  26. Passei Por Aqui Mon Ami!!!
    Bastante Li e Muito Aplaudi!!!
    O Selo Não Colhi Pois Não Consegui
    E Nem Ser Como Seguir, Por Favor,
    Mande Em Email Ou Pelo Blog, Msg
    Que Ajudar-Me Podem!!!

    Grata, Pela Parte Que A Mim Toca!!!

    Bjão No♥

    ResponderExcluir
  27. ah obrigada pelo selo viu?
    colocarei em meu blog..

    posso copiar todos..???????hahahahahaha

    beijoo

    ResponderExcluir
  28. Arnaldo,

    vim agradecer a visita e deparo-me com um poema belissimo. a nostalgia que impera dentro de nós, procurando um qualquer rio, uma qualquer margem para aportar, mas sabendo da partida.

    E claro que fiquei fã.

    bj

    ResponderExcluir
  29. Olá Arnoldo
    Lindíssima poesia!!!!!
    Perfeita sintonia de sentimento, pensamento...
    Muitos Parabéns aos dois.
    Dois abraços de muita amizade

    ResponderExcluir
  30. Parabéns pelo poema Arnaldo.
    Agradeço o selo, já peguei o meu logo estarei postando
    Beijos e mais uma vez obrigada

    ResponderExcluir
  31. Que poema belíssimo meu amigo!!!
    Seu blog é uma preciosidade!
    Bea

    ResponderExcluir
  32. Um poema maravilhoso que toca o coração de quem lê. Quantos sonhos se perdem e ganham no rio da vida.
    Obrigado pelo selinho, vou levar e colocar no meu cantinho "SELINHOS - Presentos dos AMIGOS".
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  33. Só p'a dizer que já fiz a postagem dos selinhos.
    Depois passe lá para conferir, sim?!
    Vou começar a avisar os amigos.
    Beijos.
    Até logo.

    ResponderExcluir
  34. Parabéns a ambos! É uma belíssima poesia!

    Obrigada, Arnoldo, pelo carinho e levo o selinho para azular ainda mais o meu cantinho!:)

    Beijinho

    ResponderExcluir
  35. Olá, amigo! Mil perdões pela demora...

    Desculpe... não andei muito bem por esses dias... Por isso, sumi um pouco.

    Quero lhe agradecer pelos presentes, viu? Eu vou ter que quebrar as regras do selinho, porque eu estou precisando ficar um pouco quieta, meu amigo. Então pegarei o meu em silêncio...

    Espero sinceramente que não se importe. É que estou precisando retornar com calma, ainda não estou 100%.

    Mais uma vez, obrigada por tudo.

    Bju!

    ResponderExcluir
  36. Olá! Vocês foram muito elogiados e agora compreendo o motivo... parabéns! Adorei o poema, adorei o blogue!

    ResponderExcluir
  37. De fato a poesia é lindissima e muito bem escrita como todas as suas obras! A parceria da Silviah, foi ótima!

    A Silviah é a Bela e você Arnoldo, a fera; ambos na arte da poesia e e, todos os sentidos!

    E de antemão o nosso Blog agradece os maravilhosos presentes, o imenso carinho e longa admiração!

    Sempre retribuiremos o seu carinho! Um abração!

    Clemente.

    ResponderExcluir
  38. Vidas à espera que o rio as leve, rumo às terras de não-sei-onde, rumo ao mar, ao encontro de si mesmas.Vidas que escorrem, simplesmente, como as águas. De comum a todos nós, a tristeza atávica, o inevitável sofrimento da existência, parafraseando Schopenhauer. Abraço fraterno. Obrigada pelo selo.

    ResponderExcluir
  39. Eu estava sem pc, mas agora irei montar um post com os selos maravilhosos!!!
    Quando eu postar, tte aviso!

    bjos, amigo.

    Álly

    ResponderExcluir
  40. belissimo poema! cheio de melancolia e romantismo...
    parabens pelo post!

    Posso publicar os selos?

    Feliz 2011!

    ResponderExcluir