Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó




"Minha Poesia não usa vestes para se camuflar, é livre e nua" (Arnoldo Pimentel)

"Censurar ninguém se atreverá, meu canto já nasceu livre" (Sérgio Salles-Oigers)

"Gambiarra Profana, poesia sem propriedade privada, livre como a vida, leve como pedra em passeata" (Fabiano Soares da Silva)

"Se eu matar todos os meus demônios, os anjos podem morrer também" (Tenneessee Williams)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

EU E O IPÊ (Silviah Carvalho e Arnoldo Pimentel)





SELOS (Sinto -me honrado em ter recebido esses selos e repasso a todos os amigos que vistarem meus blogs)

1- Nina - http://doce-meio-amargo.blogspot.com
2- Maria- http://algarve-saibamais.blogspot.com
3- Corina-http://o-meu-reino-da-noite.blogspot.com
4- Ana - http://ternuras56.blogspot.com

REGRAS
1- Ler e comentar o poema (Estou sempre pedindo porque a poesia é a razão do blog existir e acho que todos deveriam fazer o mesmo, pois sempre ficamos tão felizes com o presente que esquecemos de ler e comentar a poesia)

2- Visitar, se possível, os blogs dos selos
3- Postar o selo e colocar o blog que presenteou (ventosnaprimavera.blogspot.com)
4- Repassar para no mínimo 05 blogs amigos


Eu e o Ipê
Autores: Silviah Carvalho e Arnoldo Pimentel)

Ouço palavras nos ventos
O canto das ondas no quebra mar
Vejo a lua procurando direção
Como uma câmera a fitar meu coração.

Em noites de chuva fina prefiro ficar na janela
Fugindo talvez, dos tristes olhos dela
Observo as vias, os carros parados
Imagino corações desesperados

Gotas cintilantes molham as vidraças
Como cristais de lagrimas a derreter
Vejo no outro lado da rua, o reflexo
Da minha tristeza, o solitário pé de Ipê

Suas flores roxas no chão mudam o cenário
Pintam um quadro imaginário
Minha vida, eu e quem sabe você
Abstrato – impossível crer...

Da minha janela vejo tudo que passa lá fora
Da fina chuva pessoas vão se esconder
Na praça balanços giram na força dos ventos
E você é constante nos meus pensamentos

Sinto-me preso a raros momentos
Vestígios em mim que ficou de você
Restos de saudades, frágeis lembranças
Que só diminuem minhas esperanças

Da minha janela sonho acordado com você
Desço as escadas da vida tentando te encontrar
Ao menos fim. Triste realidade a vida sem te ter
Encosto-me, divido a saudade com meu solitário Ipê

36 comentários:

  1. Bom dia, Arnoldo!Parabéns pelos selos e pelo belissimo poema feito a quatro mãos eu e o ipê, ouvi as ondas quebrando no mar é uma sensação divina, paz interior indescritivel.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá meu querido Arnoldo, que lindo selo/carinho, obrigada pelo presente e que bela poesia, eu sou uma amante de flores, quando vejo ipês me coloco a observar e realmente o sentimento de vida, saudade, intensidade, sonho e esperança sempre me atingem, perfeitas palavras! Um abraço, uma ótima semana! Juliana

    ResponderExcluir
  3. Bom dia , Arnoldo !

    Todos os selinhos te são mais que
    merecidos .
    Todos os seus blogs são lindos ,
    pura beleza e poesia ...

    Ipê e saudade , uma viagem à doces lembranças,
    foi o que me remeteu .


    Agradeço imensamente a lembrança ,
    o carinho ... O selinho é Lindo !

    Obrigada e um Dia Cheio de Paz e Sorrisos.

    ResponderExcluir
  4. Olá, querido!
    Vim agradecer os presentes e já estou levando comigo!
    O poema está belo... na facul em que estudo tem ipês que agora, na primavera, deixam o estacionamento lindo de se ver... com aquele tapete arroxeado... lindo mesmo...

    Beijos e bom feriadão!

    =)

    ResponderExcluir
  5. Olá Arnaldo,
    Adorei o teu o poema "tudo o eu queria"... grande euforia de amor! E "eu e o ipê" descreve de forma intensa a saudade!!! Lindos...

    Vou escolher um dos selinhos muito obrigada pela oferta.

    Boa semana

    ResponderExcluir
  6. Olá, meu qerido amigo, obrigada pelo selinho.

    Parabéns a vc e a Silvia, Este poema é lindo, ele tem forma, cor e cheiro de chuva, de lágrimas de saudade, de amor e de flores.
    Um beijo com carinho

    ResponderExcluir
  7. Amoooooooooooo o IPÊ

    Temos 1 caso

    todos têem

    vim buscar o presente

    bjs ArnoLdo
    amooo ver vc!!

    ResponderExcluir
  8. Olá Arnoldo!
    Você merece bem essas ternuras que recebe de seus amigos. Muito linda essa parceria que fez com Silviah. Gostei muito do resultado desse trabalho.
    Obrigada pelo carinho, mais logo volto para buscar e visitar os blogs que você indicou.
    Beijos, meu Amigo.

    ResponderExcluir
  9. Ola querido!

    Lindos presentes e muito bem merecidos!
    Obrigada por partilhar esse carinho comigo!Levarei e postarei no cantinho de selos que se encontra linkado no espaço pessoal!

    Quanto ao poema!Palavras que denotam um tanto nostalgico porem lindissimo e sensivel!
    É sempre bom ter um ipe por perto para dividir o momento da saudade!Coisas da vida!

    Parabens ao dois pela inspiraçao e pelo lindo dom da palavra!

    PS:Serei mais presente aqui!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. "Suas flores roxas no chão mudam o cenário
    Pintam um quadro imaginário
    Minha vida, eu e quem sabe você"
    Belas palavras pra um feriado! Obrigada pelo presente. Tudo aqui é perfeito, no meu ponto de vista. Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Oi querido, Obrigado pelos selos. Com prazer colocarei no meu blog.

    ResponderExcluir
  12. Imaginei um lindo ipe florido...já postei os selinhos, obrigada por se lembrar de mim!!!beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi meu amigo, muito obrigada pelo selo.
    Esse poema é lindo demais... parabéns aos dois amigos e poetas!

    Bjos,
    *Simone*

    ResponderExcluir
  14. Uma das arvores mais linda da natureza... na primavera é a primeira a florescer...
    linda poesia, vcs estão de parabéns, como sempre...
    obrigada pelo selinho. ja esta postado...
    com carinho Poema as Bruxas.

    ResponderExcluir
  15. Eu agradeço pelo selo é uma forma de carinho.

    O que falar deste poema que fala justamente de flores em mudanças, é justamente este o sentimento da semana, achei magico isto.

    bjs
    Insana

    ResponderExcluir
  16. Lindo poema, saudades, recordações,uma busca do amor...é o passado que não passou..
    Quando leio esse poema, é como se estivesse pintando uma tela, as frases são pinceladas, os sentimentos são as cores...cada detalhe apróxima a arte da perfeição.. Amei!
    Parabéns á você Arnoldo e á Silviah, pelos lindos trabalhos.
    Sempre grata e honrada pelos selos.
    Adorei são lindos, muito obrigada pelo carinho.
    Tudo de bom para vocês!

    Beijos!..

    Marion

    ResponderExcluir
  17. Boa tarde querido amigo!
    Obrigada por lembrar de mim! Lindos os selinhos!
    Uma poesia cheia de vida,paz e amor, maravilhosa que encanta em cada verso que se lê! Parabéns aos dois por tão bela construção!
    bjs Taís

    ResponderExcluir
  18. Olá Arnoldo. A vida sem ter quem a gente ama é uma dor sem fim, solidão que resgata a realidade viva desse mesmo amor.
    Adorei passar por aqui! Vi a luz. Obrigada!
    E vamos confiar na vida! ;)

    ResponderExcluir
  19. Acho que Ipês trazem lembranças boas pra todo mundo né? Traz aquele gosto de infância ou qualquer coisa de criança.

    Agradeço-te pelos selos, com certeza postarei no Molhe-se. Obrigada de coração por tua presença lá no Molhe-se, que hoje completa 1 ano de existência.
    Parabéns por ter recebido também os selos, com certeza alguns de muitos.

    Beeejo,beeejo, bom feriado. :)

    ResponderExcluir
  20. Olá, poetas,Silviah Carvalho e Arnoldo Pimentel, sou uma apaixonada por ipês. Plantei um no condomínio onde moro (da espécie amarela). Queria um roxo, mas não temos espaço suficiente. Então, o poema cai como uma luva para mim!
    Obrigada pelo selo...assim que voltar a Natal, cumpro o resto da corrente, porque estou fora por uns dias...

    Mesmo assim, obrigada! Abraço

    ResponderExcluir
  21. "Sinto-me preso a raros momentos
    Vestígios em mim que ficou de você
    Restos de saudades, frágeis lembranças
    Que só diminuem minhas esperanças"

    liindo, adoreii mesmo!
    já estou seguindo o blog *-*
    obrigado pelos selos, adoreii!

    Beijo ee bom restinho de semana!

    ResponderExcluir
  22. ...Vejo a lua procurando direção,como uma câmara a fitar meu coração...

    Que as flores roxas do Ipê nos ajude a disolver nossos diversos tipos de saudades...
    Amei este texto.

    ResponderExcluir
  23. Ahh, que intenso, triste e belo poema. Fiquei bom tempo lendo, outro maior tempo refletindo... É como um raio-X de minha alma saudosa e sedenta pelo amor perdido...
    Sinto-me honradíssima pelos selos-presentes e pelas visitas ao meu principiante 'Pensamento Indelével'. Obrigada pelos presentes e por compartilhar poemas-maravilhas como este. Beijo.

    ResponderExcluir
  24. Olá Arnoldo
    Muito obrigado pelo carinho de se lembrar de mim para partilhar estes lindos e bem merecidos mimos de amigas.
    Adorei o poema,excelente inspiração... Parabéns e abraços aos dois.

    ResponderExcluir
  25. Lindo poema de saudades e solidão que tem também sua beleza a sombra de um ipê.
    Peguei meu selinho e vou postar nos amigos e mimos da coruja. Obrigada pelo carinho.
    Monte de bjs e abraços

    ResponderExcluir
  26. Ahhh que lindo poema. fico muito feliz por ter me presenteado mais uma vez. brevemente postarei os meus mais novos premios em meu blog. um abraço, ótima semana meu querido.

    Tamires

    ResponderExcluir
  27. Querido amigo,

    Dois poetas talentosos e sensíveis e o resultado só poderia ser estes versos maravilhosos. Lindo poema! Obrigada Arnold e Silviah.


    Obrigada pela consideração e os selos, amigo.

    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  28. Amigo, os selinhos que recebeu são lindos e agradeço o seu carinho ao lembrar-se de mim. Vou levar para depois colocar no meu cantinho. Será publicado primeiro no "Divagar", depois irá para o meu blog de selinhos (http://maria-selinhos-presentesdosamigos.blogspot.com/).
    O poema é de uma nostálgia enorme, sente-se a tristeza e a saudade que invade o coração e a alma do poeta. Vocês são fabulosos a escrever.
    Não conhecia o ipê, e por isso fui dar uma vistinha de olhos na net e fiquei encantada, as suas flores são lindas.
    bjs do tamanho do infinito para os dois
    Maria

    ResponderExcluir
  29. Dividir os sentimentos com um ipê, um ser vivo e sensível...o ipê ouve como bom amigo que é...
    Parabéns a ambos!!!
    Levo os selinhos...
    Valeu, Arnoldo!!!

    ResponderExcluir
  30. Meus aplausos querido Aranoldo.
    A imagem vai se formando na mente do leitor, na medida em que avança no texto. A janela, a chuva, o ipê. Dá até pra sentir a dor no coração do eu-lírico.
    Maravilhoso..
    Abraços amigo..e parabéns a Silviah.

    ResponderExcluir
  31. Lindo o poema , ler e meditar sobre os ipês floridos me remeteu a infância, que saudades, amei entrar neste poema.Parabéns à você Arnoldo e a você Silviah. Amei beijos.

    ResponderExcluir
  32. Parabéns para os dois poetas, Silviah e Arnoldo
    Por tão belo poema.
    beijosss...

    ResponderExcluir
  33. Ola querido, vim agradecer meus selinhos e levá-los comigo.Obrigada pelo carinho!Beijão

    ResponderExcluir
  34. Parabéns aos dois artistas.Meu caso com a mãe natureza é de paixão incontestável, então sou suspeita para falar de flores, árvores, animais, mar, mas com certeza o Ypê é uma das árvores que mais amo desde pequena.Cultivo paixão tbm pelo Pau-brasil que qdo florido nos dá além da beleza, um perfume delicioso.Obrigada pelo selo e um super bju aos dois.Vocês são mais que especiais...

    ResponderExcluir